terça-feira, 11 de outubro de 2011

Liberdade Obrigatória


Sei lá eu
O que diga, o que faça
Hoje sou frágil
E a alma não desembaraça
A imunidade é o meu objectivo
Pois a resto é uma farsa
Sinto-me ligado a tudo
E no entanto não tenho nada

Mas o que estou a dizer?
Que raio ando a fazer?
Pareço um menino
Sedento por compaixão
Seja de que forma for
Mas suplico…
Façam-me sentir a minha própria presença…
Nem parece que estou no meu direito
Mas na verdade estou…
E parece surreal ter tal acto cumprido…

Serei fraco por estar assim?
Por querer deixar cair o corpo
E ter alguém que o agarre?...
Serei fraco por sentir?
Então o que é ser forte?
Talvez uma capa de quem é ainda mais frasco
E talvez o fraco seja um corajoso pois assume que o é…

Não me domino
Logo nunca serei imune ao que temo
Tenho a liberdade obrigatória de viver tudo…



7 comentários:

Lia Vergottini disse...

gosto da maneira como escreves, continua assim =)

Vagabundo disse...

Obrigado por aqui teres passado.. =)
Vi um pouco dos teus textos e gostei!
Estarei atento aos próximos ;)

ps: adoro Itália!!

Lia Vergottini disse...

Fico contente por saber que gostaste dos meus textos =)
Quanto a Itália, somos 2 ;P

Vagabundo disse...

Tu és de onde?

Lia Vergottini disse...

Agora vivo em Lisboa.

Vagabundo disse...

Também sou de Lisboa, bem arredores (Sintra). Mas agora estou a estudar em Portalegre.
Talvez nos possamos ver qualquer dia =)

Lia Vergottini disse...

sure =)