domingo, 4 de julho de 2010

Rainha do Absoluto

Abri-te todas as portas do meu mundo…
Para teres o que querias…
Ser peça fulcral da minha vida…

Deixei-te entrar nos meus sonhos…
Mas transformas-te tudo…
Peças de magia em teatro de um pesadelo…

Quero insaciavelmente…
Imploro desalmadamente…
Desejo mais desse mundo demente…

Pegas-te em tudo o que tinha-mos…
O que era meu…
O que era nosso…
E reduzis-te tudo a nada…

Como foste capaz
De tratar a minha vida assim?...
Como é capaz
Que apesar de tudo ainda goste de ti?...

A tua maldade…
O teu toque obsceno e diabólico deixa-me louco por ti…


Governavas os meus sonhos…
Dominavas o meu mundo…
Eras rainha do absoluto…

Pegas-te em tudo o que tinha-mos…
O que era meu…
O que era nosso…
E reduzis-te tudo a nada…

Querias mais sempre ansiavas por mais
E agora…
O que era nosso…
Não passa de uma lembrança do passado…

4 comentários:

Anónimo disse...

Tens tanto jeito...! Fico mesmo orgulhosa!

Um grande beijinho,

Prima Vanessa ;)

Anónimo disse...

li...gostei..
talvez me tenha revisto em ti..em palavras soltas...na dor que sentes, sim porque ainda a sentes, embora tenha passado algum tempo, o tempo..esse de quem todos falam e dizem ser capaz de apagar as pegadas de um caminho sofrido ressentido em nos, caminho esse do qual temos medo, do qual fugimos e tentamos esquecer;
questiono-te;
para que esquecer?
se no meio de tudo houve bons momentos, se no meio da tristeza soubemos sorrir?
para que fechar as portas da alma do coraçao ao que mais ha de belo na vida?
sim...falo do amor..
esse que nos faz perder sentidos,esse que sem o convidar corrompe o coraçao, faz-nos sonhar..ate mesmo acreditar que tudo é belo e eterno, quando na realidade...na realidade nada mais é do que bons momentos, que devem ser recordados sem magoa por muito que tenha doido..que parte de nos tenha-se partido,quebrado, lançado ao desconhecido mas que nos magoa...quase que sufoca... apaixonados...
move- te como o vento respira e cospe como o mar, um dia alguem te ha de encontrar no meio dessa tua densa penumbra, das tuas defesas que ergueste com medo de te desiludires novamente...nao te enclausures nao deixes que te tornes alguem infeliz..o amor é como uma faca de dois gumes tanto mata como embriaga de ilusao...
como eu me revejo em ti..mas acabou sabes porque? porque a vida é assim..passa por nos e traz-nos de tudo, cabe a nos distinguir,captar dela o melhor...o sorriso de alguem..o olhar..o toque..o simples acordar de manha e enfrentar um novo dia..nao deixes que as pessoas que surgem na tua vida,capazes de te amar como mereces e fazer te sentir amado escapem..o passado,deve servir para aprendermos e nao para nele ficarmos presos...
deixa-te levar...da oportunidades,es uma daquelas pessoas raras..faceis de se gostar,aquelas que nos fazem sentir bem ate mesmo pouco ou nada as conhecendo, como eu te conheço a ti...
espero ter dito o que precisas ouvir..
a vida é ampla...
só precisamos vive-la..e sim é melhor com companhia

Observador disse...

nao é dor...
mas obrigado pelas palavras de sabedoria mas sei o que faço...
falas bem que tudo serve para aprendermos...
eu conheço paixao! sei da loucura que nos controla quando conhecemos aquela pessoa com o factor je ne sais quoi que nao sabemos pq mas queremos e queremos e voltamos a querer insaciavelmente!
nao escrevo as coisas com rancor...
escrevo a refleçao de momentos mas nao acompanhados com dor mas sim com lição aprendida... as defesas que crio sao para proteger os outros nao a mim :)

Anónimo disse...

li e fiquei deslumbrado (a)!